segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

24 de agosto de 1928, no “A Tarde”

.
Lampeão atravessou a fronteira bahiana
Tomou a cavalhada de um chefe politico e proseguiu.
Demos hontem hum telegramma em que se dizia que Lampeão fôra assignalado nas proximidades da fronteira da Bahia. O terrivel facinora – podemos hoje accrescentar – atravessou a linha divisória, no dia 21, á frente de um pequeno grupo. Viaja sob o falso nome de Manoel Netto, dizendo-se sargento da policia pernambucana.
Em Varzea da Ema, no municipio de Santo Antonio da Gloria, encontrou o coronel Petronillo Reis, chefe politico local, cuja cavalhada arrebanhou, trocando o seu grupo de montadas e continuando para Feira do Pau.
Embora seja a primeira vez que atravessa a nossa fronteira, Lampeão conhece a região nordestina bahiana palmo a palmo, pois, como tropeiro do coronel Delmiro Golveia andou por tudo isso conduzindo pelles e coiros.
Attribue-se que elle tenha vindo ao nordeste para recrutar gente da sua laia, assassinos profissionaes, visando sobretudo os do bando de Antonio da Engracia, que vem sendo perseguido pela policia baiana.
O tenente Waldemar Lopes., com a sua força volante, seguiu no rastro de Lampeão. Outros destacamentos bahianos e pernambucanos, como pedras de um taboleiro de xadrez, estão sendo movidos para um possivel cerco do valente cangaceiro.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário